Morro de São Paulo|BA

Relato de Viagem

ONDE FICAR EM MORRO DE SÃO PAULO?

Pousada Borboleta

Vista do mirante do farol ao lado da Tirolesa

Em Morro você encontra muitas opções de hospedagem, desde Pousadas, Resorts, Hostels, Airbnb. Nós optamos por buscar sempre um bom custo benefício, nosso critério foi basicamente ter café da manhã e ficar próximo da segunda praia.

Ficamos na Pousada Borboleta, você pode achar essa hospedagem no Booking e entrando pelo nosso link você ganha um super desconto!

O local atendeu nossa expectativa, um bom café da manhã, funcionários alegres e prestativos, quarto simples mas confortávei com ar condicionado e varanda com rede. Tinham um terraço com um espaço “relax” e todas as tardes serviam bolo e chá, um charme.

COMO CHEGAR EM Morro de São Paulo?

Para chegar em Morro de São Paulo assim como em Gamboa as opções são transportes Semi Terrestre, Catamarã ou Helicóptero. Optamos pelo Semi Terrestre pois pelo tempo que aparecia nos sites que pesquisamos a diferença era bem pouca caso optássemos pelo Catamarã e o Helicóptero não foi opção já que queríamos uma viagem gastando pouco rs.

Logo que chegamos no Aeroporto de Salvador procuramos o guichê da Cassi Turismo agência que reservamos o semi terrestre pelo Whatsapp e tínhamos que acertar o valor na hora.

O aeroporto estava em reforma, o que deixou tudo bem confuso corremos para o guichê pois já estávamos próximos do horário de saída do transfer mas na verdade na Bahia não tem horário de verão então ficamos mais uma hora no aeroporto.

Aproveitamos para almoçar já que no vôo eles não oferecem nada grátis, apenas água e estávamos com fome. Voamos pela Latam ida e volta.

VALE A PENA O SEMI TERRESTRE?

Lá no guichê da Cassi Turismo o atendente com sotaque espanhol nos informou que só aceitavam dinheiro em espécie e tivemos que procurar onde sacar pois ele nos ofereceu desconto para já deixar pago a volta.

Mas acabamos não voltando com eles para Salvador e sim com o Catamarã da Biotur saindo do píer de Morro de São Paulo e esse valor que já tínhamos pago trocamos pelo passeio “Volta à Ilha”. Lógico que tínhamos medo dos inúmeros relato de pessoas que passaram mal no Catamarã mas resolvemos arriscar. Achamos bem seguro, depois que o rapaz deu as instruções de segurança encontramos uma posição confortável fechamos os olhos e não levantamos mais.

Quem ficou andando, tentou assistir TV e não parou quieto passou mal, mas se você já enjoa fácil não arrisque  realmente balança muito. Tomamos um Dramin que tínhamos levado, lá eles não dão medicamento e a única coisa que sentimos foi um leve mau estar. Em menos de 2h já estávamos em Salvador, com sono e estranhos, sem saber se era efeito do Dramin ou do Catamarã!

O motivo de não voltarmos de semi terrestre foi que descobrimos que na verdade o semi terrestre é o mais demorado. Pelo menos com essa agência que fomos, Cassi Turismo.

Depois de pegar um vôo em Ribeirão Preto cidade que fica à 1 hora de carro de Araraquara onde moramos e uma conexão do Aeroporto de Congonhas em São Paulo para o Aeroporto de Salvador que foi até um trajeto tranquilo, tivemos que encarar aproximadamente 4h:30min de traslado Semi Terrestre.

Pegamos uma Van do aeroporto até o Terminal Turístico Marítimo de Salvador e de lá um tipo de Catamarã (Lancha de Mar Grande/Ferry) sentido Ilha de Itaparica, descemos em Vera Cruz e de lá fomos de micro ônibus até Ponta do Curral no atracadouro Bom Jardim próximo à Valença e de lá uma lancha rápida até o píer de Gamboa. Ficamos lá os primeiros dias da viagem e depois subimos para Morro em uma Lancha Táxi em um trajeto de 5 min aproximadamente. Caso você vá direto para Morro não precisa descer em Gamboa.

Como fizemos esse semi-terrestre com agência você depende de vários fatores pois envolve mais pessoas então é fácil ter atraso. Quem nos alertou que demoraria foi a responsável pelo nosso Airbnb na hora de combinarmos o encontro, ela mesma disse que eles falam um horário mas na verdade é outro.

Você tem a opção de ir de carro também e deixar o carro em estacionamentos próximos à Valença ou se for de Catamarã deixar em Salvador e apenas fazer a travessia.

Da outra vez que fomos para Morro de São Paulo chegamos pelo Sul da Bahia e achamos o caminho muito mais bonito e dá pra você fazer algumas paradas. Vale se planejar!

Taxas, tem que pagar para entrar em morro de são paulo?

Chegando em Morro logo fomos abordados por um Carregador de Malas que levou nossas malas até a entrada da Pousada. O preço é definido por eles de acordo com a quantidade de malas e a distância que irão percorrer. Levamos apenas uma mala grande, uma de mão e duas mochilas, naquele momento o sedentarismo falou mais alto, junto com o calor que estava forte e resolvemos pagar, valeu muito a pena pois os “morros” ficam bem mais cansativos andando livremente imagine com malas!

Mas antes fomos direcionados para um local logo na entrada com guichês para pagarmos uma Taxa –  TUPA, ou Tarifa por Uso do Patrimônio do Arquipélago que foi R$15,00 por pessoa e aceitavam cartão de débito apenas ou dinheiro. Mais informações sobre esta taxa aqui.

Na hora de ir embora tem a taxa de embarque de R$ 1,15 por pessoa.

 

 

onde comer em morro de são paulo?

Chegamos na Pousada Borboleta e logo fomos andar na Praia e procurar lugar para almoçar. Bem em frente à pousada havia uma lanchonete que servia prato feito por um preço bem mais barato do que comer nos restaurantes à beira da praia. Decidimos experimentar e gostamos bastante. Uma comida caseira, bem servida e fomos bem atendidos. Por diversas vezes almoçamos lá ou jantamos pois era bem mais perto do que ir até o centrinho, vários hóspedes da pousada paravam por lá também.

 

Teve uma vez que comemos um lanche super saboroso e recheado que um rapaz passou vendendo na praia chama Jony Milanesa e é super elogiado no Trip Advisor.

Um lugar que fomos algumas vezes e aceitava o cartão refeição da Alelo, foi o Pedra sobre Pedra que fica entre a 1 e 2 praia. Gostava muito da vista de lá e o fato de ficar aberto 24h.

Tendo disposição para procurar você encontra pratos para todos os gostos, comemos em restaurantes que achávamos o preço justo e a comida boa mesmo que fosse lanche ou petiscos. Logicamente não teve comparação com o que gastamos em Gamboa, e nossa maior frustração foram os drinks, principalmente nas festas. Achamos que encontraríamos algo parecido com o que tomamos em Gamboa mas não chegou perto, caro e nada de mais na maioria das vezes.

Quando virou 1 de dezembro TUDO aumentou de valor comida (mesmo sorvete) e os passeios. Coisas que deixamos pra depois tivemos que pagar mais caro então o valor vai variar bastante dependendo da época.

Levar dinheiro ou cartão em morro de são paulo?

Lá em Morro na praça do centrinho você encontra caixas eletrônicos do Banco do Brasil e do Santander. Ficamos sem dinheiro em espécie chegando próximo ao final de semana e tivemos que buscar estes serviços e foi uma aventura à parte.

Saíamos da nossa pousada sem saber se daria certo ou não e todas as vezes os caixas não estavam funcionando para saques. Nossa sorte foi termos dinheiro na conta do BB pois lá tinha também uma Lotérica que realizava saques apenas desse banco mas descobrindo depois de dar com a cara na porta algumas vezes.

Passamos o final de semana todo nessa incerteza, sem saber se havia acabado o dinheiro ou era problema no caixa, apenas na segunda-feira subimos novamente até o centro e encontramos a lotérica aberta e utilizamos para saque duas vezes no período que estivemos lá. Teve fila e um pouco de demora, lá tinha turistas e moradores.

Então apesar de muitos lugares aceitarem cartão e até mesmo o Alelo Refeição você precisará de dinheiro em espécie para algumas outras coisas que à vista, no dinheiro, sai mais em conta e se depender apenas do serviço de banco da Ilha pode ser demorado e precário.

O QUE FAZER EM morro de são paulo?

Morro de São Paulo é conhecida também pelo agito noturno. Havia propaganda por vários lugares e promoters dessas festas que vendiam os ingressos na beira da praia e no centro. No primeiro dia que chegamos era uma sexta-feira dia que acontecia a festa na Toca do Morcego. Animamos muito de ir, compramos os ingressos com as promoters na praia que realmente sai mais barato do que deixar pra comprar lá na hora e elas nos avisaram para chegar 00:30h por aí, sendo que no convite estava 00:00hs.

Era quase meia noite já tínhamos jantado, andado pelo centrinho e ficamos sentamos esperando dar a hora. Resolvemos ir 00:15h entramos e logo na portaria disseram que apenas o convite masculino tinha direito à uma caipirinha. A pista de dança em si não era muito grande. Como chegamos ainda estava quase vazio demos uma andada pra conhecer o local mas eles não liberam todo o espaço.

Voltamos na Toca do Morcego para ver o famoso pôr do sol, que você paga R$15,00 para entrar e o que consumir. Já tínhamos visto o pôr do sol no farol mas lá realmente eles tem uma vista privilegiada. Tudo ficou lindo, a decoração, as luzes, e todo o espaço ficava aberto com mesas e uma árvore enorme bem no centro, e o lugar todo cercado de natureza.

Mas como nem tudo são flores, ficaria perfeito se tivesse menos pessoas em pé na grade, tampando literalmente o pôr do sol em busca da foto perfeita. Se essa for sua intenção chegue cedo fique em um bom lugar porque cada pedacinho é bem disputado! Depois que o sol se põe rola uma música ao vivo pra quem quiser ficar até às 22h e a maioria das pessoas foram embora e pudemos ficar apreciando a vista.

No sábado rola a festa da Pulsar, mas como eu havia pesquisado antes no Instagram deles comprei o ingresso pelo whatsapp, foi basicamente a pessoa me mandando a conta pra depósito eu transferi o dinheiro e depois me mandou a foto dos convites. Fiquei com medo de não dar certo mas deu!

Quando falavam que as baladas começavam tarde não achamos que era tarde mesmo rs. Aproveitamos para descansar a tarde e ir a noite na tal Pulsar.

Meia noite estávamos na praça do centro, já cansados de esperar. Pegamos o caminho errado e ao invés de perguntar fomos pelo caminho do “farol” e não do “forte” que é bem na entrada no píer e quando finalmente achamos a entrada começou a chover. O calor era tanto que deu pra aguentar a chuva, pelo menos no começo.

O local com chuva não funcionou muito bem, teve queda de energia e o que mais ficamos chateados foi bastante gente ficar na chuva, porque só os camarotes eram cobertos, e eles não começarem logo as atrações esperando a casa encher. Na verdade o pessoal começa chegar mesmo lá pela 01:30 da manhã em todas as festas!

                        

Como a chuva foi aumentando resolveram abrir o camarote que estava vazio e subimos lá onde tinha espaço para sentar, conversar e era coberto. Então a banda entrou, curtimos um pouco o show e nesse momento a casa já estava bem lotada e nós cansados. Conclusão, fomos embora e ainda tinha muita festa pra rolar, nem a tal da espuma vimos!

Terça e quinta nos disseram que rolava um “Luau” na segunda praia. Fomos em uma quinta-feira conferir, desse vez já tínhamos dormido bem e chegamos umas 02:00h no local.

Na verdade não é bem um Luau como a maioria pode imaginar, são pessoas dançando rodeados por barracas de bebidas que ajudavam também na iluminação, muito Funk e depois uma mistura de ritmos. Como o local é aberto você pode só chegar e observar muitos moradores e gringos animados!

Dançamos um pouco e fomos sentar na areia olhando o mar. Romântico se não reparar que o mar da segunda praia bem na frente vira um banheiro masculino à céu aberto e o banco de areia o feminino (onde fizemos a massagem outro dia), e muitas pessoas vomitando, deixando lixo, deu foi dó da praia!

                           

Achamos muita propaganda pra pouca festa boa na verdade. Vale ir pra conhecer mas não voltaríamos é só mais pretexto pra consumir. Como já estávamos desanimados de festas não fomos na do Teatro do Morro, encontramos pessoas que disseram amar e outras nem tanto assim, como era um lugar longe e no dia seguinte teríamos o passeio volta à ilha decidimos não ir.

Como são as praias de morro de são paulo?

As praias de Morro de São Paulo são chamadas por ordem numérica: Primeira Praia, Segunda Praia, Terceira Praia, Quarta Praia e a Praia do Encanto, também chamada de Quinta Praia. Todas elas com uma característica, história e trajetória diferentes. Localizadas lado a lado e próximas uma da outra, as belíssimas praias desta ilha agradem a todos turistas, de todas as partes do mundo e de qualquer classe econômica. Areias claras, águas cristalinas, com a beleza da mata atlântica, fazem de Morro de São Paulo o lugar ideal para desfrutar do paraíso conforme seu estilo de vida.

Na primeira praia é onde fica a famosa tirolesa. Não fomos pois achamos que não compensaria R$100 o casal para alguns poucos segundos de diversão, e a vista da tirolesa também poderíamos ter indo lá em cima.

A praia que menos ficamos foi a Segunda. Lá é pra quem gosta de um fluxo maior de pessoas muitos bares e garçons te abordando toda hora mas para ir no mar em si é bem tranquilo. Conforme você vai andando vai ficando mais sossegada, lá também fizemos uma massagem maravilhosa!

Quando a maré está baixa a Quarta praia é um charme à parte, onde você pode andar pelas piscinas naturais e ver os peixinhos, no caminho também encontramos alguns macaquinhos. 

Você consegue também ir pra Gamboa conhecer a praia da argila e andar por lá, o que recomendamos.

Fizemos o passeio Volta à Ilha, um dia todo e foi muito bom! Fomos em uma Lancha Rápida em um grupo de 7 pessoas e saímos da Terceira praia por volta de 10h da manhã, retornamos no píer quase no pôr do sol. 

  

No caminho vimos golfinhos de longe, fizemos várias paradas e o almoço foi na Boca da Barra na Toca do Lobo, um restaurante super tranquilo à Beira Mar. Passamos nas piscinas naturais de Moreré realmente lindas e fizemos uma parada na cidade histórica de Cairu.



Lá não recomendamos você pagar por um guia se oferecerem pois não valeu à pena e o rapaz não nos acompanhou até o final. Depois que entramos na Igreja e saímos ele sumiu! Apenas nos acompanhou até a Igreja passando informações superficiais do local. O que você acharia no Google facilmente, mas dentro da Igreja as pessoas que te acompanham fazem um bom trabalho.

 

Dificilmente você não vai gostar de alguma praia ou passeio de lá. Vimos o nascer do Sol na terceira praia e foi lindo! A noite quando a maré baixava era impressionando ver o quanto o mar recuava e o pôr do sol sensacional, você pode ir no Farol ver sem pagar nada!

Compras em morro de são paulo

Não somos do tipo de pessoas que gostam de sair pra comprar, mas se você se planejou e quer fazer compras em Morro mesmo que seja de lembrancinhas fique tranquilo que lá não vão faltar opções. Compramos bem pouca coisa em uma loja no centrinho que chama Morro de Saudade, tem desde lojas simples até mais estilosas de marca e luxuosas.

Na feirinha de artesanato que rola na praça toda noite foi onde gostamos mesmo de comprar! Compramos cocadas maravilhosas, diversos sabores truffa de cacau, cacau em barra com cocô, foi difícil resistir, só não compramos mais porque lá só estavam aceitando dinheiro e como já disse não foi fácil sacar! Fique com vontade também de experimentar os cosméticos artesanais, pelo menos o óleo de cocô que comprei em Gamboa é maravilhoso!

Mais detalhes e vídeos dessa nossa viagem você encontra no nosso canal no Youtube!

Até mais amantes da liberdade!

Assista nossos vídeos!

Tem o relato dessa viagem no nosso canal com dicas também! Confira!

Quer saber como viajar mais gastando pouco?